quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Ministério do Trabalho anuncia inserção do Turismólogo na CBO.

Ministério do Trabalho anuncia inserção do Turismólogo na CBO.

Um ano e três meses após o protocolo número 40.000.021820/201016 que solicita inclusão do turismólogo na Classificação Brasileira de Ocupações - CBO realizado pelo Instituto Brasileiro de Turismólogos – IBT (www.turismologos.org.br/cbo.asp), é com grande satisfação que o Ministério do Trabalho e Emprego – MTE anuncia o início dos trabalhos com previsão de termino para fevereiro de 2012.

O IBT reuniu-se com o Ministro do Trabalho, Sr. Paulo Roberto dos Santos Pinto, no ultimo dia 16 de janeiro de 2012, onde foi apresentado o inicio dos trabalhos técnicos. Participaram da reunião a Chefe da Divisão da CBO, Sra. Cláudia Maria Virgílio de Carvalho Paiva e os Turismólogos filiados ao IBT: Débora Lentúlia, Rute Andrade Elias, Guilherme Matoso, Marcio Bensuaschi e Nei Bastos.

Para alcançar está conquista o IBT investiu mais de R$ 20 mil reais, utilizados em deslocamentos a Brasília, postagens, alimentação, hospedagem, envio de ofícios para senadores e deputados, entre outras despesas. Todo o recurso é oriundo da contribuição de filiados.

A previsão da conclusão dos trabalhos é para segunda quinzena de fevereiro deste ano, com imediato cadastramento do Turismólogo nas bases de dados como IBGE, Receita Federal, CAGED, Lista de Ocupações da Carteira de Trabalho, FGTS, entre outros.

O maior benefício virá por conta da iniciativa pública e privada, que utilizam a CBO para elaborar os planos de cargos e carreiras.

Agradecemos a união e o apoio recebido. Manteremos toda a categoria informada das próximas etapas.

Marcio Bensuaschi
Presidente IBT

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Reconhecimento da profissão de Turismólogo

LEI No 12.591, DE 18 DE JANEIRO DE 2012
Reconhece a profissão de Turismólogo e disciplina o seu exercício.

A P R E S I D E N T A D A R E P Ú B L I C A
Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Art. 1o ( VETADO).

Art. 2o Consideram-se atividades do Turismólogo:

I - planejar, organizar, dirigir, controlar, gerir e operacionalizar instituições e estabelecimentos ligados ao turismo;

II - coordenar e orientar trabalhos de seleção e classificação de locais e áreas de interesse turístico, visando ao adequado aproveitamento dos recursos naturais e culturais, de acordo com sua natureza geográfica, histórica, artística e cultural, bem como realizar estudos de viabilidade econômica ou técnica;

III - atuar como responsável técnico em empreendimentos que tenham o turismo e o lazer como seu objetivo social ou estatutário;

IV - diagnosticar as potencialidades e as deficiências para o desenvolvimento do turismo nos Municípios, regiões e Estados da Federação;

V - formular e implantar prognósticos e proposições para o desenvolvimento do turismo nos Municípios, regiões e Estados da Federação;

VI - criar e implantar roteiros e rotas turísticas;

VII - desenvolver e comercializar novos produtos turísticos;

VIII - analisar estudos relativos a levantamentos socioeconômicos e culturais, na área de turismo ou em outras áreas que tenham influência sobre as atividades e serviços de turismo;

IX - pesquisar, sistematizar, atualizar e divulgar informações sobre a demanda turística;

X - coordenar, orientar e elaborar planos e projetos de marketing turístico;

XI - identificar, desenvolver e operacionalizar formas de divulgação dos produtos turísticos existentes;

XII - formular programas e projetos que viabilizem a permanência de turistas nos centros receptivos;

XIII - organizar eventos de âmbito público e privado, em diferentes escalas e tipologias;

XIV - planejar, organizar, controlar, implantar, gerir e operacionalizar empresas turísticas de todas as esferas, em conjunto com outros profissionais afins, como agências de viagens e turismo, transportadoras e terminais turísticos, organizadoras de eventos, serviços de animação, parques temáticos, hotelaria e demais empreendimentos do setor;

XV - planejar, organizar e aplicar programas de qualidade dos produtos e empreendimentos turísticos, conforme normas estabelecidas pelos órgãos competentes;

XVI - emitir laudos e pareceres técnicos referentes à capacitação ou não de locais e estabelecimentos voltados ao atendimento do turismo receptivo, conforme normas estabelecidas pelos órgãos competentes;

XVII - lecionar em estabelecimentos de ensino técnico ou superior;

XVIII - coordenar e orientar levantamentos, estudos e pesquisas relativamente a instituições, empresas e estabelecimentos privados que atendam ao setor turístico.

Art. 3o ( VETADO).

Art. 4o ( VETADO).

Art. 5o Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.

Brasília, 18 de janeiro de 2012; 191o da Independência e 124o da República.

DILMA ROUSSEFF
José Eduardo Cardozo
Paulo Roberto dos Santos Pinto
Gastão Vieira
Luíz Inácio Lucena Adams


MENSAGEM DE VETO Nº 10, de janeiro de 2012.

Senhor Presidente do Senado Federal,

Comunico a Vossa Excelência que, nos termos do § 1o do art. 66 da Constituição, decidi vetar parcialmente, por inconstitucionalidade, o Projeto de Lei no 290, de 2001 (no 6.906/02 na Câmara dos Deputados), que “Reconhece a profissão de Turismólogo e disciplina o seu exercício”.

Ouvidos, os Ministérios do Trabalho e Emprego, da Justiça e a Advocacia-Geral da União manifestaram-se pelo veto aos seguintes dispositivos:

Arts. 1o, 3o e 4º

“Art. 1o A profissão de Turismólogo será exercida:

I - pelos diplomados em curso superior de Bacharelado em Turismo, ou em Hotelaria, ministrados por estabelecimentos de ensino superior, oficiais ou reconhecidos em todo o território nacional;

II - pelos diplomados em curso similar ministrado por estabelecimentos equivalentes no exterior, após a revalidação do diploma, de acordo com a legislação em vigor;

III - por aqueles que, embora não diplomados nos termos dos incisos I e II, venham exercendo, até a data da publicação desta Lei, as atividades de Turismólogo, elencadas no art. 2o, comprovada e ininterruptamente há, pelo menos, cinco anos.”

“Art. 3o O exercício da profissão de Turismólogo requer registro em órgão federal competente mediante apresentação de:

I - documento comprobatório da conclusão dos cursos previstos nos incisos I e II do art. 1o, ou comprovação do exercício das atividades de Turismólogo, previsto no inciso III do art. 1o;

II - Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS), expedida pelo Ministério do Trabalho e Emprego.”

“Art. 4o A comprovação do exercício da profissão de Turismólogo, de que trata o inciso III do art. 1o, far-se-á no prazo de cento e oitenta dias, a contar da publicação desta Lei.”

Razão dos vetos

“A Constituição, em seu art. 5o, inciso XIII, assegura o livre exercício de qualquer trabalho, ofício ou profissão, cabendo a imposição de restrições apenas quando houver a possibilidade de ocorrer algum dano à sociedade.”